A arte da escalabilidade II

A arte da escalabilidade II
PortaldeTI


Na primeira parte desta série o tema foi O Impacto das pessoas e da liderança no processo da escalabilidade. Dando sequência, hoje o assunto tem como tema: Funções (Responsabilidades) para uma organização de tecnologia escalável. Antes de prosseguirmos, quero estender os meus agradecimentos pelo feedback e o encorajamento que recebi dessa vasta comunidade dos fazedores de tecnologia pelo artigo, o meu muito obrigado a todos e espero que a segunda parte venha trazer o mesmo impacto, boa leitura!

Parte II: Funções (Responsabilidades) para uma organização de tecnologia escalável

Na primeira parte deste artigo, vimos a importância das pessoas e de processos numa organização de tecnologia que deseja escalar. Uma forma mais comum e fácil que faz com que empresas ou projectos falhem numa tentativa de escalabilidade e não só, é a falta de clareza sobre quem é responsável de determinada tarefa ou grupo. Definir claramente metas e objectivos de alto nível é uma responsabilidade da liderança, e definir as funções e responsabilidades de executivos, organizações e colaboradores no geral é uma responsabilidade da gerência, e a falta de clareza pode ser desastrosa para uma empresa ou organização de várias formas. Mais abaixo mostraremos exemplos reais do que pode acontecer numa organização ou empresa na ausência da clareza de funções e responsabilidades entre os colaboradores no geral.


O Efeito do fracasso

Até então, vimos que a falta de clareza em relação a funções e responsabilidades, pode resultar em indivíduos ou grupos que deixam de realizar uma tarefa necessária que por sua vez pode resultar em uma ou mais falhas no produto, organização ou processo. Tomemos como exemplo uma equipa ou empresa onde ninguém assumiu a responsabilidade de planeamento da capacidade (isso pode ser assunto para um outro artigo) mais pretende lançar um novo produto ou serviço. Nesse contexto, o planeamento da capacidade é a comparação da demanda esperada à capacidade do sistema (fornecimento ou capacidade máxima por tipo de solicitação) resultando em um conjunto de acções propostas para garantir que a capacidade corresponda à demanda, tais conjunto de acções proposto, pode incluir por exemplo a solicitação da compra de servidores internacionais, solicitando avaliação arquitectónica dos componentes do sistema para permitir que o produto venha atender à demanda.


Definindo funções (Responsabilidades)

O objectivo desta sessão é mostrar através de exemplo, como uma empresa ou equipa deveria definir funções para resolver problemas principalmente aquelas causadas na ausência da definição de responsabilidade, lembrando que esse é um assunto bastante abrangente, e quero aproveitar a ocasião para dizer que não é obrigatório seguir essa estrutura de exemplo de funções podendo na falta de pessoal, um único profissional poderá exercer mais de uma função desde que responda a demanda, em outras palavras, os exemplos de responsabilidades executivas, organizacionais e de colaboradores individuais não se destina a restringi-lo a cargos específicos ou estrutura organizacional. Sendo que o assunto é quase inesgotável. 

Iremos apenas nos concentrar em algumas funções das responsabilidades executivas, Organizacionais, e individuais dos colaboradores.


1. Responsabilidades executivas

Os executivos de uma empresa como equipa, são responsáveis mais do que qualquer outra pessoa, de imprimir um DNA escalável na empresa e promover a cultura da escalabilidade de que temos falado desde o parte I desta série. Das funções executivas vamos destacar 3 o CEO, CFO e o CTO.


O CEO

O CEO (Chief Executive Officer) é o general da escalabilidade, como em todos os outros assuntos dentro da empresa, quando se trata de escalar, ele ou ela é o tomador da decisão final e o árbitro de todas as coisas relacionadas à escalabilidade. Um bom CEO de uma empresa de tecnologia precisa ser tecnicamente competente, mas isso não significa que ele precisa ser o especialista em tecnologia ou principal tomador de decisões em tecnologias.

É difícil imaginar que alguém subisse a posição de CEO e não entendesse como ler um balanço, uma demonstração de resultados ou uma demonstração do fluxo de caixa. Essa mesma pessoa, a menos que tenha experiência em contabilidade ou seja um ex- CFO, a um CEO não é esperado que conheça tudo sobre finanças é por isso que tem ao seu lado um CFO mais ter um conhecimento razoavel é imprescindível para ajudar nas tomadas de decisões que envolvam finanças.


O colete salva vida do CEO

O colete salva vida do CEO é composto por três grandes pilares: fazer perguntas e buscar consistência nas respostas, sempre que poder, busque conselhos, melhore a sua proficiência de escalabilidade. 

Fazer perguntas e busca consistência nas respostas

Parte do trabalho do CEO é encontrar a verdade, porque só com a verdade se tomará decisões mais acertadas, apesar de não ser comum a tua equipe te mentir mas é comum cada indivíduo da equipe ter uma percepção diferente da verdade principalmente quando trata - se de problemas de escalabilidade.

Sempre que poder busca conselhos

Procure sempre conselhos de profissionais, que são mais proficientes na área da escalabilidade (Mas tenha cuidado para não levar as cegas os conselhos, leva em conta realidades diferentes e reutilizar o máximo dos conselhos que podes).

Melhore a sua proficiência de escalabilidade (Exercite sempre a escalabilidade)

Criar uma lista das tuas fraquezas, coisas que ainda sua dúvidas para você e que é necessário para a escalabilidade do negócio e procure aprimorar lendo blog, artigos, livros, participando em seminários etc.


O CFO (Chief Financial Officer)

Tem acontecido com muita frequência que o CEO delega responsabilidades do orçamento ao CFO, embora nem sempre seja o caso. Os orçamento são informado pelo planeamento da capacidade (já falamos um pouco desse plano anteriormente), o planeamento é uma parte muito importante no processo de sistemas escaláveis de sucesso. Garantir que a equipa e a empresa tenham orçamento suficiente para escalar a plataforma, produto e uma tarefa fundamental do CFO. Também não precisa que o CFO seja muito técnico, mas se tiver um conhecimento técnico pode ser de grande ajuda, isso lhe ajudará a fazer perguntas apropriadas que por sua vez facilitará de que maneira o seu trabalho.


O CTO (Chief Technology Officer)

Já que o CEO é o general da escalabilidade da empresa, o CTO é o comandante, dos processos e pilhas de tecnologias que a empresa usa em seus produtos.O CTO deve criar uma visão técnica geral da empresa, e nessa visão para uma empresa que cresce regularmente deve constar elementos que promovem a escalabilidade.
Um aspecto muito importante para o CTO, ele ou ela pode até delegar responsabilidades de certos aspectos voltado a escalabilidade a medida que a empresa cresce, mais isso não pode eliminar a responsabilidade que ele ou ela tem de garantir que a tarefa está sendo executada de uma maneira correta, dentro do prazo e do orçamento.


2. Responsabilidades Organizacionais

Este já é uma responsabilidade colectiva, o sucesso ou o fraco da escalabilidade depende muito da equipa como toda e não muito aos colaboradores individuais, por isso vale muito a pena darmos um pouco mais de atenção em como se distribui responsabilidade organizacionais na empresa e mais uma vez sendo esse um assunto abrangente vamos destacar apenas três tipos de responsabilidade: Responsabilidade de arquitectura (para quem quiser saber mais leia o meu artigo sobre a importante de arquitectura de software para uma empresa de software), Responsabilidade de engenharia, responsabilidade de operação e produção.


Responsabilidade de arquitectura

A equipa responsável pela arquitectura do sistema, é de sua inteira responsabilidade garantir que o design e arquitectura do sistema cumpram com os requisitos necessários.


Responsabilidade de Engenharia

Está é a equipa da linha de frente que vai poder executar o plano todo, os engenheiros pegam o plano de arquitectura do sistema e criam os famosos design de baixo nível que por sua vez serão implemento através de códigos.


Responsabilidade de operação e produção

E por fim não menos importante a equipa responsável pela operação e produção ultimamente essa equipa tem se dividido em pequenas equipas operando na mesma áreas mais com responsabilidades diferentes, a missão desta equipa e juntar as peças para fazer o sistema e por outro lado essa equipa também trabalha na linha de frente enfrentando situações tais como por exemplo as oito falácias da programação distribuídas.

● A Rede é confiável
● A latência é zero
● A largura de banda é limitada
● A topologia não muda
● A rede é segura
● O custo de transporte é zero
● A rede é homogénea


3. Responsabilidades Individuais

Tendo acabado de descrever as funções relacionadas à escalabilidade que devem ser cobertas por diferentes organizações da sua empresa ou equipa, descreveremos agora as funções dos indivíduos que podem caber em diferentes organizações e vamos apenas destacar alguns sendo que o actua no dia a dias desses profissionais não é desconhecido para nós.


Arquitecto de software

Mais do que qualquer outra função, o arquitecto é responsável pela disponibilidade, escalabilidade, e sucesso técnico do design do produto, plataforma ou sistema.


Engenheiro de Software

Um engenheiro de software é um membro da equipe responsável pela implementação de alterações e adições de qualidade e produto no software.


Engenheiro de Infraestrutura

Engenheiro de infraestrutura é um termo genérico usado para identificar administradores de banco de dados, engenheiros de rede e profissionais de administração de sistemas.
Este foi a segunda parte do nosso artigo vimos que fornecer clareza de função é responsabilidade de líderes e gerentes. Indivíduos assim com as organizações precisam de clareza de funções. Demos alguns exemplos de como os funções (responsabilidades) pode ser claramente definido para ajudar na missão da organização de atingir níveis mais altos de escalabilidade.

No próximo artigo e por sinal o último da nossa série o nosso assunto terá como tema Projectando Organizações, então aqui fica mais um compromisso de nos encontramos no próximo artigo até lá cuide - se e obrigado pelo teu precioso tempo.
 

Voltar