Angola Telecom recua na atribuição da sua licença móvel à Angorascom

Angola Telecom recua na atribuição da sua licença móvel à Angorascom
Lusa


A Angola Telecom anunciou, dia 28 de Julho de 2020, que decidiu recuar no processo de subconcessão de exploração da sua licença móvel à empresa Angorascom Telecomunicações, "por não terem sido cumpridos os pressupostos técnico legais". 

"Infelizmente esses aspetos técnico-legais não deram o seguimento devido e, agora, também o quadro macroeconómico alterou e neste momento não daremos mais seguimento à solicitação de autorização para a subconcessão do serviço móvel que exploramos", esclareceu o presidente do Conselho de Administração da Angola Telecom, Adilson dos Santos.

O Governo angolano autorizou "excecionalmente" a subconcessão do serviço móvel da Angola Telecom, empresa angolana de Telecomunicações, à empresa Angorascom Telecomunicações S.A, segundo um despacho presidencial.

O despacho, datado de 04 de Novembro de 2019, não explicitava as razões para a autorização "excepcional", da subconcessão do serviço móvel da Angola Telecom, referindo-se apenas à necessidade de "garantir a promoção da concorrência na oferta de redes e serviços de comunicações electrónicas em todo o território nacional".

Questionado pela Lusa se o recuo resulta de insuficiência legal ou do actual contexto da pandemia, Adilson dos Santos limitou-se a dizer: "perdemos a oportunidade nesse momento".

"Portanto, no momento em que foi feito havia uma realidade, tinham que ser cumpridos pressupostos para a parceira e, neste momento, não tendo sido feito, estando agora neste contexto entendemos já não fazer a subconcessão", explicou.

A libanesa Africell Global venceu o concurso público para se tornar a quarta operadora de telecomunicações em Angola, conforme anunciou no princípio deste mês, em comunicado, o Governo angolano.

Atualmente, Angola conta com três operadoras, com a Unitel a líder o mercado, com cerca de 80%, à frente da Movicel, com cerca de 20%, e a Angola Telecom (empresa estatal em processo de privatização) com uma posição residual.
Lusa.

Voltar